Arquivo da tag: energia

Primeiros geradores de energia eólica de SP já estão operando

Os dois geradores estão instalados dentro da área pertencente a Usina Engenheiro Sérgio Motta, conhecida também como Porto Primavera

Torres de Energia Eólica
Torres de Energia Eólica

Os dois primeiros geradores de energia eólica do estado de São Paulo foram colocados em operação no dia 09 de Junho no município de Rosana (SP), região de Presidente Prudente (distante 58 quilômetros da capital paulista).

Eles estão instalados dentro da área pertencente a Usina Engenheiro Sérgio Motta, conhecida também como Porto Primavera.

Em um primeiro momento, serão feitos testes elétricos e mecânicos, que devem durar cerca de 20 dias.

Quando em funcionamento, os equipamentos vão produzir aproximadamente 620 megawatts-hora (MWh) por ano, energia que será utilizada no consumo interno da usina Porto Primavera.

“A implantação de centrais fotovoltaicas e eólicas junto a usinas hidrelétricas existentes apresenta vantagens devido ao espaço físico e infraestrutura de transmissão no local, o que pode propiciar uma redução significativa no custo da energia gerada”, disse o subsecretário de Energias Renováveis, Antonio Celso de Abreu Junior.

Os geradores eólicos fazem parte de um programa de pesquisa e desenvolvimento da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) que pretende estudar a complementaridade energética das fontes solar, eólica e hidráulica.

As torres, que têm 30 metros de altura e pás de 10 metros de comprimento, foram desenvolvidas pela Companhia Energética de São Paulo (Cesp), com o apoio da Secretaria Estadual de Energia e Mineração.

O projeto de uso complementar das energias solar e eólica à energia hidrelétrica tem sua conclusão prevista para agosto de 2018 a um custo estimado de R$ 31 milhões.

Também na área de Porto Primavera, desde o final de 2016, já está em operação a primeira usina fotovoltaica do Brasil a utilizar a tecnologia de placas flexíveis e rígidas em sistema flutuante.

 

Fonte: EXAME

 

IKEA inaugura maior projeto nacional de painéis solares fotovoltaicos em cobertura para autoconsumo

Painel Solar Fotovoltaico
Painel Solar Fotovoltaico
A IKEA, em conjunto com o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, e o secretário de Estado da Energia, Jorge Seguro Sanches, inaugurou na loja IKEA Alfragide aquela que é a maior instalação de painéis solares em Portugal, em cobertura, para autoconsumo privado.
O projeto implicou um investimento inicial de quatro milhões de euros na instalação de dez mil painéis fotovoltaicos na cobertura das suas lojas em Alfragide, Loures e Matosinhos.
«Este projeto representa o compromisso e o empenho da IKEA Portugal em contribuir, de forma decisiva, para a promoção das energias renováveis e no combate às alterações climáticas, um dos maiores flagelos globais hoje em dia. O que nos inspira e motiva é criar um melhor dia a dia para a maioria das pessoas e isso começa, inevitavelmente, em nossa casa. Por isso, quisemos dar o exemplo e investir em energia renovável para que possamos atingir rapidamente o objectivo de sermos autossuficientes a nível energético, poupando recursos e melhorando o ambiente», explicou Cláudia Domingues, diretora de Comunicação Corporativa e Sustentabilidade da IKEA Portugal.
«Em nome do Governo de Portugal gostava de dar os meus sinceros parabéns à IKEA por esta iniciativa, não só pelo que representa por si, mas pelo que significa enquanto etapa de uma estratégia integrada de sustentabilidade. Exemplos como este enquadram-se na perfeição naquilo que são os objetivos do desenvolvimento sustentável e de como as empresas podem e devem contribuir para o alcançar dessas metas. Simultaneamente, espelha de forma muito inteligente como se pode transformar um problema – consumo energético – numa oportunidade de negócio – autossuficiência», defendeu João Matos Fernandes, ministro do Ambiente.
«A aposta em energias renováveis é sempre de louvar. Não só por permitir diminuir a nossa dependência de fontes energéticas mais poluentes, como gera ganhos consideráveis do ponto de vista financeiro. Um projeto desta dimensão, com a ambição que tem inerente, é um exemplo claro do que defendemos para a estratégia energética nacional», afirmou Jorge Seguro Sanches, secretário de Estado da Energia.
Esta operação, integrada na estratégia de sustentabilidade «Pessoas Positivas, Planeta Positivo», vai permitir que praticamente toda a energia produzida (98%) seja utilizada pelas lojas IKEA, o que corresponde a 26% do seu consumo energético, evitando emissões anuais de 1.250 toneladas de CO2, o equivalente à energia eléctrica fornecida a 1.162 habitações.

Nigeriano cria fusca elétrico movido a energia solar e eólica

Segun Oyeyiola, Estudante da Universidade de Obagemi Awolowo, converteu um fusca movido a gasolina em um veículo abastecido por energia solar e eólica — perfeito para o clima nigeriano.

nigeriano-cria-fusca-movido-energia-solar-eolica-e1452261627377

O projeto contou com muitas doações da família e colegas e custou US$ 6 mil. Materiais que iriam para o lixo ou que, sozinhos, não tinham mais utilidade nenhuma para os donos foram utilizados pelo estudante. Isso prova que é possivel fazer a diferença com conhecimento e esforço!

O carro foi equipado com um sistema de suspensão, para garantir que o veículo aguente o peso de tanta tecnologia. Em entrevista ao site FastCoExist, o rapaz falou que quer “reduzir a emissão de dióxido de carbono que piora o aquecimento global e as mudanças climáticas”.

Hoje, a bateria do fusca sustentável leva aproximadamente cinco horas para carregar completamente, mas Segun está trabalhando no modelo e pretende realizar melhorias. O estudante demorou para juntar todo o material necessário para montar o fusquinha e ainda teve que lidar com os críticos que acreditavam que ele estava perdendo tempo — Parabéns Segun.

Fonte: bUnited

Pesquisador mexicano cria cimento que gera luz

cimento-que-gera-luz

Durante a última década, o desenvolvimento de modelos inteligentes de construção, intimamente relacionados com a eficiência energética, tem implementado novos materiais que possuem uma ou mais propriedades modificadas, de maneira controlada e parcial, por estímulos externos como radiação, temperatura, pH, umidade, vento, entre outros fatores ambientais.

Como resposta aos novos modelos de construção, o Dr. em Ciências José Carlos Rubio Ávalos da UMSNH de Morelia, desenvolveu um cimento com a capacidade de absorver e irradiar a energia ilumínica, com o intuito de agregar uma maior funcionalidade e versatilidade ao concreto do ponto de vista da eficiência energética.

O novo ‘material inteligente’ desenvolvido por Rubio Ávalos foi conhecido em 20 de outubro de 2015, em um comunicado de imprensa oficial pela Agência Informativa Conacyt, na qual o pesquisador afirmou que as aplicações são muito amplas, dentro das quais as que mais se destacam são o mercado da arquitetura, fachadas, piscinas, banheiros, cozinhas, estacionamentos, entre outros. Além disso, é possível utilizá-lo na segurança viária e nas sinalizações, no setor de geração de energia, como plataformas de petróleo, e em qualquer lugar que se deseje iluminar ou marcar espaços que não tenham acesso a instalações elétricas, já que não requer um sistema de distribuição elétrica e se recarrega somente com a luz. A durabilidade do cimento emissor de luz é estimada em mais de 100 anos, por sua natureza inorgânica, sendo facilmente reciclável por seus componentes materiais.

Segundo esse mesmo comunicado, a característica essencial desse novo material é obtida mediante um processo de policondensação das matérias primas (sílica, areia de rio, resíduos industriais, álcalis e água). Esse processo, apontou o pesquisador, realiza-se na temperatura ambiente e não requer fornos ou altos consumos de energia, de modo que a poluição na sua fabricação é baixa, em comparação com outros cimentos, como Portland ou plásticos sintéticos.

“Buscamos que a luz penetre o material até certo nível. No caso do cimento convencional, o Portland, não há essa capacidade já que quando a luz chega à superfície, ela não penetra”, explicou Rubio Ávalos.

Carregar esse material com luz natural ou artificial busca oferecer novas funções ilumínicas e térmicas ao elemento construtivo mais utilizado no mundo, com o objetivo de diminuir o consumo energético gerado pelos sistemas ativos.

Espera-se que além de sua distribuição no México, investidores do Chile, Espanha, Argentina e Brasil comercializem o material em breve para sua implementação em rodovias e outros espaços urbanos.

Fonte: Archdaily

Diretor da Solluar participa de Congresso e traz alguns insights sobre o futuro da energia solar fotovoltaica no Brasil

O diretor comercial e idealizador da Solluar, Marcos Melo Moraes,  participou nos dias 3 e 4 de fevereiro do  Congresso de Integradores 2017, organizado pela empresa Blue Sol e trouxe alguns insights sobre o futuro da energia solar fotovoltaica no Brasil. Confira abaixo, pelas palavras do próprio Marcos, como foi enriquecedor o evento e como estamos cada vez mais “ligados no futuro”.

Congresso de Integradores 2017 - Evento da Blue Sol
Marcos Melo Moraes, diretor comercial e idealizador da Solluar (à direita) e proprietário da Blue Sol, Luiz Otávio Colaferro.

Após a assinatura por 195 nações, o Acordo de Paris enfim foi sacramentado, possibilitando um desenvolvimento econômico satisfatório para todas as nações. O Brasil como um dos signatários deste acordo precisa se esforçar muito para transformar os sistemas energéticos.

Fontes modernas de energia renováveis, como a solar fotovoltaica e eólica, passam a ter papel fundamental na matriz elétrica nacional, e medidas governamentais (RN 482) deram início a um prognóstico bastante interessante quando se vislumbra a instalação em boa parte dos mais de 50 milhões de telhados em nosso país.

Para que possamos nos balizar frente a enormidade de tendências que vem ocorrendo nos países desenvolvidos, foi realizado em Ribeirão Preto – SP , nos dias 3 e 4 de fevereiro o Congresso de Integradores 2017, organizado pela empresa Blue Sol e onde se pode beber na fonte de profissionais “ligados no futuro” como o sócio proprietário da Blue Sol, Luiz Otávio Colaferro, seu irmão e sócio José Renato, Nelson Colaferro, e também representante da ABSOLAR, entidade que luta valentemente para consolidação do setor fotovoltaico em nosso país, e outros representantes de empresas que estão empenhados no sucesso da energia solar em nossos lares.

Foi usado o slogan “Sozinhos vamos mais rápidos, mas juntos iremos mais longe”, o que impôs um bom astral ao congresso, bem motivacional devido a constatação do crescimento exponencial que vem ocorrendo em nosso país no setor de energia renovável, principalmente a energia fotovoltaica.

E mais importante que o crescimento esperado no setor é que pôde ser constatado pelos relatos do Luis Otávio, do tour realizado nos EUA em grandes empresas tais como Apple, Google, empresas sediadas no vale do Silício, UCLA e outras universidades, enfim tudo o que há de vanguarda no setor de pesquisa e desenvolvimento de energia renováveis, inclusive a CES, feira do consumo de todo tipo de tecnologia inusitada, realizada anualmente na Califórnia, e disso tudo se pode concluir com bastante clareza a tendência geral para uso inteligente da energia.

Congresso de Integradores 2017
Congresso de Integradores 2017, organizado pela empresa Blue Sol.

O termo “SMART GRID” em breve estará na boca do povo, uma vez que o termo sintetiza o conceito de uma rede, onde não só o importante é a PRODUÇÃO de energia renovável, mas também o CONTROLE  e INFORMAÇÃO, que possibilitará total autonomia de energia, como também o melhor gerenciamento de como utilizá-la, em seu celular, no seu carro elétrico, em sua residência, aonde você decidirá o momento mais adequado e mais barato para a utilização desta energia, totalmente gerenciável através de uma plataforma da tecnologia da informação (TI). Ou seja estamos imersos no futuro, e o que parecia longe e distante que vimos em filmes e desenhos de ficção científica, na realidade já está incorporado em nosso dia a dia, e isso faz uma grande diferença para alavancar, amadurecer em nossa sociedade a importância da sustentabilidade, de ações diárias que ajudem a melhorar a qualidade de nossas vidas.

Steve Jobs, um dos maiores empreendedores de nosso planeta, o gênio da Apple, dizia que a tecnologia só faz sentido se for para o bem estar de nossas vidas.

Portanto meu amigo, pense, se informe e viva as grandes mudanças que estão ocorrendo na nossa cara, pois estamos “ ligados no futuro” para que nossa vida valha a pena no presente. Na agradável simplicidade e na sacada de Murilo Gum que também participou deste congresso, diz ele que o Sol é “wireless”,  e nós já o estamos utilizando através do sistema fotovoltaico, e isso não é futuro, nós estamos falando do agora, do presente.

Então não fuja de sua responsabilidade, aja, se informe, divulgue, pois estou convicto que com todas as tendências a caminho teremos em nossas mãos o que todo mundo quer: Viver bem e “be happy”.

Aumenta o número de consumidores que produzem a própria energia

Investimento é alto, mas a economia com a conta de luz compensa. Energia produzida é compartilhada com a rede elétrica.

O número de consumidores brasileiros que produzem a própria energia aumentou mais de 17 vezes nos últimos dois anos no país.

A fábrica de casquinhas de sorvete em Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, investiu R$ 160 mil em painéis solares para gerar toda a energia de que precisa: 3.500 kWh por mês. O financiamento dos equipamentos vai ser pago em cinco anos. Luciano diz que compensa.

“Hoje eu pago a mesma coisa que eu teria que pagar para a concessionária. Como eu estou querendo ampliar a empresa daqui a dois anos, a gente está querendo praticamente dobrar a capacidade de maquinário, a gente zerando isso aí depois de cinco anos, praticamente zera a conta de energia”, explica Luciano Neves, dono da fábrica.

A energia que ele produz é compartilhada com a rede elétrica. A luz do sol já garante até mais energia do que a empresa necessita atualmente, e essa sobra gera um crédito junto à concessionária de energia do estado. Enquanto a fábrica não é ampliada, o Luciano está usando esse excedente em outro endereço. A legislação permite, desde que as contas de luz estejam em nome da mesma pessoa. A energia que vem da empresa zerou a conta da casa dele.

“Se eu não estivesse utilizando essa energia que está sendo produzida na fábrica, eu estaria pagando, em média, R$ 600 a R$ 700 aqui em casa”, conta.

Em todo o país, o número de residências e empresas que estão gerando a própria e energia e compartilhando com a rede passou de 431 no fim de 2014 para mais de 7 mil em dezembro de 2016. A maioria desses consumidores usa a luz do sol como fonte geradora.

“Um dos fatores é porque tem uma grande vantagem sob o ponto de vista econômico para o próprio consumidor. A instalação de um sistema tem uma vida útil de uns 25 anos em média e ele se paga no máximo em sete, oito anos”, disse Romeu Rufino, diretor-geral da Aneel.

Um restaurante já começou a substituir as chapas e os fornos a gás por equipamentos elétricos. Toda a energia vem dos painéis que transformam a luz do sol em eletricidade.

“Já é outra vantagem que a gente vai ver: é o custo do gás ser reduzido aqui no restaurante da gente”, afirma Jean Miranda, dono do restaurante.

Fonte: Jornal Nacional (edição do dia 03/02/2017)

China mais do que dobra capacidade em energia solar em 2016

O país pretende impulsionar o uso de fontes não fósseis de geração de energia para 20 por cento de sua matriz em 2030, ante 11 por cento hoje.

Central de geração de energia solar na China

A capacidade instalada em energia solar fotovoltaica na China mais do que dobrou no ano passado, transformando o país no maior produtor de energia solar do mundo em capacidade, disse a Administração Nacional de Energia neste sábado.

A capacidade fotovoltaica instalada subiu para 77,42 gigawatts ao final de 2016, com a adição de 34,54 gigawatts ao longo do ano, mostraram dados da agência.

Shandong, Xinjiang e Henan ficaram entre as províncias que tiveram o maior aumento da capacidade, enquanto Xinjiang, Gansu, Qinghai e Mongólia Interior foram as regiões que terminaram com maior potência total ao final do ano.

A China pretende instalar mais de 110 gigawatts em capacidade solar no período 2016-2020, segundo o plano de desenvolvimento solar traçado pela agência de energia.

O país pretende impulsionar o uso de fontes não fósseis de geração de energia para 20 por cento de sua matriz em 2030, ante 11 por cento hoje.

A China planeja investir cerca de 364 bilhões de dólares em geração de energia renovável até 2020.

Fonte: Reuters

Chevrolet Bolt é eleito carro do ano nos Estados Unidos

Compacto elétrico desbancou sedãs de luxo como Genesis G90 da Hyundai e o tecnológico Volvo S90

chevrolet-bolt-dianteira-distante (1)

O investimento da Chevrolet no desenvolvimento de novas tecnologias e carros elétricos deu o primeiro resultado positivo. Isso porque, apesar da demora para ser entregue, o Chevrolet Bolt foi eleito o Carro do Ano 2017 para mercado norte americano, durante o Salão de Detroit.

O Bolt ficou na frente de sedãs de luxo como o Genesis G90 da Hyundai e Volvo S90. O carro totalmente elétrico da GM tem um motor de 202 cv e 36,7 kgfm, o suficiente para chegar a 100 km/h em menos de 7 segundos.

Mark Reuss, vice-presidente executivo da Chevrolet, afirmou que Bolt cumpre a promessa da marca de oferecer um carro cheio de tecnologia e especialmente com autonomia suficiente para conquistar novos consumidores.”Não é apenas um veículo elétrico, é o elétrico com a maior autonomia da atualidade”, disse o executivo.

O compacto consegue rodar 383 km até precisar ser recarregado. As pesquisas da Chevrolet apontam que se os motoristas dirigem em média 64 km por dia, com apenas uma hora na tomada, o Bolt é capaz de percorrer 40 km. As estações públicas de recarga serão mais potentes e darão 114 km de autonomia em meia hora.

O próximo passo da GM é testar condução autônoma no modelo. Em dezembro do ano passado, a montadora revelou os planos de criar uma frota para teste. Atualmente, a Chevrolet está acelerando as produções do Bolt, construindo cerca de 100 unidades do modelo diariamente em sua planta em Orion Township. A empresa quer expandir as vendas para outras regiões ao redor do mundo, atingindo todos os países com certificado para veículos elétricos até meados de 2017.

Fonte: Revista Auto Esporte