Chevrolet Bolt é eleito carro do ano nos Estados Unidos

Compacto elétrico desbancou sedãs de luxo como Genesis G90 da Hyundai e o tecnológico Volvo S90

chevrolet-bolt-dianteira-distante (1)

O investimento da Chevrolet no desenvolvimento de novas tecnologias e carros elétricos deu o primeiro resultado positivo. Isso porque, apesar da demora para ser entregue, o Chevrolet Bolt foi eleito o Carro do Ano 2017 para mercado norte americano, durante o Salão de Detroit.

O Bolt ficou na frente de sedãs de luxo como o Genesis G90 da Hyundai e Volvo S90. O carro totalmente elétrico da GM tem um motor de 202 cv e 36,7 kgfm, o suficiente para chegar a 100 km/h em menos de 7 segundos.

Mark Reuss, vice-presidente executivo da Chevrolet, afirmou que Bolt cumpre a promessa da marca de oferecer um carro cheio de tecnologia e especialmente com autonomia suficiente para conquistar novos consumidores.”Não é apenas um veículo elétrico, é o elétrico com a maior autonomia da atualidade”, disse o executivo.

O compacto consegue rodar 383 km até precisar ser recarregado. As pesquisas da Chevrolet apontam que se os motoristas dirigem em média 64 km por dia, com apenas uma hora na tomada, o Bolt é capaz de percorrer 40 km. As estações públicas de recarga serão mais potentes e darão 114 km de autonomia em meia hora.

O próximo passo da GM é testar condução autônoma no modelo. Em dezembro do ano passado, a montadora revelou os planos de criar uma frota para teste. Atualmente, a Chevrolet está acelerando as produções do Bolt, construindo cerca de 100 unidades do modelo diariamente em sua planta em Orion Township. A empresa quer expandir as vendas para outras regiões ao redor do mundo, atingindo todos os países com certificado para veículos elétricos até meados de 2017.

Fonte: Revista Auto Esporte

Elon Musk: painéis solares em forma de telha custarão menos que telhados comuns

A Tesla anunciou recentemente seu mais novo produto: painéis solares que se integram ao telhado e são praticamente imperceptíveis. O CEO da Tesla, Elon Musk, revelou que essas telhas solares da empresa devem custar menos do que as versões convencionais, mesmo antes de levar em conta a economia em gastos de energia.

“A proposta básica seria, ‘você gostaria de telhas com um visual melhor do que um telhado normal, que duram duas vezes mais, custam menos e, a propósito, geram eletricidade?’ “, disse Musk na quinta-feira (17), pouco depois que os acionistas da Tesla aprovaram a aquisição da empresa de energias renováveis SolarCity.

De acordo com Musk, tornar os painéis mais baratos do que telhas tradicionais é atualmente algo “bastante promissor”, graças em parte aos custos reduzidos de transporte. Da Bloomberg:

Não se engane: as novas telhas ainda serão um produto premium, pelo menos quando forem lançadas inicialmente. Os telhados de terracota e ardósia que a Tesla imitou estão entre os materiais mais caros no mercado, custando até 20 vezes mais do que telhas asfaltadas baratas.

Grande parte das economias de custo que Musk está antecipando vem do transporte dos materiais. Os materiais tradicionais de telhado são quebradiços, pesados e volumosos. Os custos de envio são elevados, assim como a quantidade perdida devido a quebras.

As novas telhas de vidro temperado, projetadas na nova divisão automotiva e de vidro solar da Tesla, pesam apenas um quinto dos produtos atuais e são consideravelmente mais fáceis de transportar, disse Musk.

No mês passado, Musk revelou oficialmente sua intenção de substituir o telhado das casas, revelando quatro casas equipadas com telhas de painéis solares surpreendentemente elegantes.

“A chave é fazer com que a energia solar tenha um visual agradável”, disse Musk na época. “Queremos que você chame seus vizinhos e diga: ‘veja só este belo telhado’”.

Fonte: Gizmodo Brasil